Redes Sociais tornando-se parte da sala de aula

Foto: Terra Notícias

Em plena época em que os jovens, cada vez mais, são bombardeados de informações rápidas em 140 caracteres e com uma infinidade de diversas ferramentas que os permitem ficar conectados 24 horas por dia, os educadores encontram-se em meio a um grande desafio, que é adaptar-se a esta nova realidade virtual e social.

Diante deste fato, alguns professores perceberam que a solução para conquistar os estudantes é trazer a sala de aula ao meio de socialização dos jovens: as redes sociais. Isso vem acontecendo da seguinte forma: enquanto o professor explica o conteúdo no quadro negro, os alunos recebem pelo twitter atualizações com links de imagens e vídeos referentes ao que está sendo explicado no momento. Depois, os alunos têm a função de pesquisar mais informações sobre o assunto e tuitá-las para o educador. Desta forma, a escola quebra a barreira entre a sala de aula e as mídias sociais e os professores interagem tanto na sala de aula quanto virtualmente com seus alunos.

Esta idéia vem sido colocada em prática por muitos profissionais e está conquistando a atenção dos alunos. No caso do professor Roberto Carlos de Souza, professor de literatura, o twitter vem sendo seu forte aliado, lá ele criou um concurso de “twitteratura” na escola Crescer PHD, de Vitória (ES). O projeto é aplicado às turmas de ensino fundamental e consiste em publicar pequenos contos de 140 caracteres no Twiter, e para que isso desse certo, Roberto deu aulas sobre redes sociais e explicou a diferença da linguagem e da escrita utilizadas em sala de aula e nas redes sociais.

O professor alega que grande parte dos alunos, em torno de 80%, mergulharam de cabeça nesta tarefa e passaram a gostar mais das aulas de português. Roberto ainda diz que neste semestre, todos os professores da escola Crescer PHD receberão treinamento para começar a fazer uso do Twitter e do Facebook como ferramentas de contato com os alunos fora da escola, o intuito da ideia é estar sempre à disposição dos alunos para tirar dúvidas, principalmente aos que estão na fase de fazer provas do Enem e do vestibular.

Apesar de existirem alguns exemplos de sucesso, especialistas ainda acreditam que muitos professores estão despreparados para desfrutar desta estratégia de ensino. No entanto, vemos que empresas de diferentes setores já se renderam ao uso do Twitter e Facebook, pelo fato destas ferramentas serem um importante meio de comunicação com os clientes, mas por que, ainda não aconteceu nas instituições de ensino? Não seria hora de capacitar os professores para se adaptarem a esta nova realidade, e ainda, estreitar sua relação com seus alunos?

Fonte:Terra

Sobre DryWash

Rede especializada em produtos e serviços para limpeza e conservação de veículos. Com foco em desenvolvimento sustentável, inovação e qualidade.
Adicionar a favoritos link permanente.