Formas de evitar acidentes

car-831928_1280

90.315,644, esse é o número total de veículos em circulação no Brasil, segundo dados de novembro de 2015 do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). E é partindo dessa informação que temos a real noção dos perigos e riscos que a má condução do automóvel pode oferecer para os motoristas, pedestres e passageiros.

Adotar a direção defensiva é uma forma consciente de manter a segurança e bem-estar de todos na via, desde pedestres até outros condutores. Por isso, listamos alguns tópicos que irão ajudar você a evitar acidentes e preservar a saúde e o conforto de todos.

Não ande em alta velocidade

Dirigir em alta velocidade diminui o tempo e a possibilidade de resposta do motorista e do veículo, aumentando a probabilidade de acidentes.  Quanto mais rápido você está, mais difícil será reduzir a velocidade do carro.

Lembre-se que dirigir em alta velocidade também é passível de multa. De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), essa infração é considerada grave e implica em multa de R$ 127,69 mais 5 pontos na carteira de habilitação.

Dirija com ambas as mãos no volante

O Código de Trânsito Brasileiro estabelece que dirigir com ambas as mãos no volante é uma regra obrigatória para todos os motoristas que transitam pelo território nacional. Além disso, manter as duas mãos no volante ajuda o condutor a manter o bom posicionamento do automóvel entre as faixas das vias, tornando mais fácil, ágil e segura a troca entre faixas e a ação em situações de risco.

Não dirija muito próximo do veículo

Manter uma distância segura entre você e o veículo à sua frente é essencial, mesmo que o trânsito esteja lento, pois bastam dois segundos de distração para ocorrer um acidente. Dirigir longe de outro automóvel também facilitará a sua reação no caso de algum imprevisto acontecer.

Use os sinalizadores do veículo corretamente

Por quantas vezes você não reclamou daquele motorista que simplesmente se “esqueceu” de dar seta ao mudar de direção?  É por esse motivo que utilizar os sinais do carro corretamente, com antecedência e consciência como, setas, faróis e buzina (essa última só deve ser utilizada como último recurso), ajudará a criar um trânsito melhor e mais seguro.

Respeite as sinalizações

Respeitar as sinalizações das ruas, avenidas e rodovias estabelecidas pelos órgãos de trânsito é uma forma consciente de evitar que acidentes aconteçam, além de garantir a segurança de pedestres e motoristas.

Mantenha-se atento

Todo bom motorista sabe: bastam poucos segundos de distração para que ocorra algum acidente. Por isso, enquanto estiver dirigindo, não utilize o telefone celular ou faça qualquer outra atividade que possa tirar a sua atenção da via.

Use o cinto de segurança

Pode parecer improvável, mas ainda existem pessoas que saem de carro sem utilizar os cintos de segurança. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é obrigatório o uso do cinto de segurança para todos os condutores e passageiros em todas as vias do território nacional, salvo em situações regulamentadas pelo CONTRAN.

Não utilizar o cinto de segurança é uma infração considerada grave, passível de multa no valor de R$ 127,69 por passageiro, mais 5 pontos na carteira de habilitação, junto a retenção do veículo até que todos os passageiros estejam com os cintos de segurança devidamente colocados.

Evite distrações

Atender o telefone celular ou procurar coisas na bolsa, no guarda luvas e nos outros compartimentos do veículo são atitudes que podem trazer grandes riscos a sua vida enquanto dirige. Então, caso precise atender uma ligação ou deseja procurar algum objeto, estacione o carro no acostamento ou em local adequado e seguro que não atrapalhará o trânsito nem a segurança dos outros motoristas.

Dirigir em mau tempo

Sair de carro em mau tempo? Só nos casos extremamente necessários, como para ir ao trabalho, a escola ou ao médico, caso o contrário evite enfrentar situações de trânsito intenso e baixa visibilidade.

andré gustavo-flickr

Foto: André Gustavo/Flickr

Se beber, não dirija

A Lei Seca foi promulgada em 2008 com o intuito de penalizar os condutores de embriagados e, principalmente, para reduzir o grande número de acidentes no trânsito causados pela embriaguez ao volante.

Dirigir sob os efeitos do álcool é altamente perigoso, pois o motorista coloca a sua vida, dos passageiros, pedestre e outros motoristas em risco.  Por isso, se for beber nunca dirija.

Hoje em dia, existem vários e ótimos meios de transporte alternativo como, Uber, Táxis, e o transporte público, que em algumas capitais, como São Paulo, funcionam 24h.

Evite dirigir doente, cansado ou com sono

Você sabia que dirigir gripado é tão perigoso quanto conduzir o carro sob o efeito de álcool? Segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Cardiff, no País de Gales, os efeitos da gripe em um ser humano são equivalentes ao consumo de quatro garrafas de cerveja.

O estudo que foi realizado com 50 pessoas doentes informou que o tempo de reação aos estímulos foi 50% pior que pessoas saudáveis.

Outros fatores que aumentam os riscos de acidente são os efeitos causados pelo cansaço e consequentemente pelo sono. Então, nesses casos, o mais indicado é estacionar o veículo em um local apropriado e seguro para o descanso.

Mantenha a manutenção do carro em dia

Uma das maneiras mais práticas e fáceis de evitar um acidente é manter a manutenção do seu veículo em dia, por isso fique atento e verifique se os freios, luzes, portas, pneus e motor estão em bom estado e funcionando corretamente.

Criança, só se for na cadeirinha

O uso de cadeirinhas é uma norma obrigatória estabelecida pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) desde 2009, onde as crianças menores de dez anos devem ser transportadas obrigatoriamente no banco traseiro dos veículos com as cadeirinhas na posição inversa aos bancos do automóvel.

 

Gostou do texto? Então compartilhe com os seus amigos nas suas redes sociais. Curta a página da DryWash no Facebook e Google + e nos siga no Instagram e no Twitter.

Fontes: wikiHow.com; ctbdigital.com.br

Adicionar a favoritos link permanente.